Anúncios

Inclusiva Acessibilidade

Multiplicando o saber inclusivo!

Qual a melhor reglete para o ensino do Braille?

Qual a melhor Reglete para o ensino do Braille: a tradicional/negativa ou a positiva?

Uma polêmica entre alguns e, a meu ver, caso resolvido. A reglete é o equipamento para a escrita do Braille. Ela pode ser a tradicional, também chamada de negativa, ou a positiva. A primeira funciona com a escrita do Braille de forma invertida, já a segunda, a escrita do Braille é exatamente como se lê.

E aí? Qual a melhor? Acredito que vai depender do objetivo do estudo do Braille. Eu utilizo a reglete tradicional para ensinar professores da rede pública por um motivo muito simples, ela é mais comum nas escolas do que a positiva. Outro ponto importante é que a reglete positiva aumenta o tamanho da cela e, consequentemente, dos pontos.

O tamanho do ponto Braille para leitura de livros, apostilas etc possui um padrão. A escrita com a reglete tradicional tem as mesmas características dos pontos feitos pela máquina de escrever e pela impressora Braille.

Mas, eu já ministrei um treinamento com a reglete positiva. O público era formado de engenheiros e arquitetos e, por isso, eles precisavam ter acesso à construção do Braille para aplicação em placas, mapas táteis etc. O objetivo não era aprender o Braille para ensinar, mas ter noção da sua importância dentro de uma instituição pública.

Outro uso interessante da reglete positiva é a confecção de placas Braille para aplicação no batente de portas. Eu faço muito isso. Fica útil, simples e barato!

O ensino do Braille, mas importante que o tipo de reglete, precisa de uma boa metodologia. O principal é a memorização dos pontos que formam as letras. Fato que se justifica quando o aluno vai utilizar a máquina de escrever em Braille. Seu formato é como uma antiga máquina de escrever em português, mas só possui as teclas necessárias para a escrita, adiantar o papel etc. Caso o aluno não saiba quais pontos formam uma letra ele estará “frito sem gordura”, rsrsrs.

Falo sempre com meus alunos que aprendendo com a reglete tradicional/negativa, eles poderão escrever em Braille até de cabeça para baixo. O interessante é que muitos quando conhecem a reglete  positiva não gostam do tipo de escrita. Vai entender não é?

Enfim, conhecer as duas regletes faz parte do aprendizado. Fica a dica! Até o próximo texto!

Forte e fraterno abraço.

João Estevão S. Filho

advogado, professor e palestrante

Siga-nos nas Redes Sociais:
error
Anúncios
Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial
error

Gostou de nosso site? Indique pra seu amigos!

Facebook
Facebook
Instagram
%d blogueiros gostam disto: